terça-feira, 28 de agosto de 2018
Austin rebaixa, de ‘brBB-(sf)’ para ‘brB(sf)’, o rating das Cotas do TMJ FIDC; observação negativa mantida
A Austin Rating informa que, em 17 de agosto de 2018, rebaixou, de ‘brBB-(sf)’ para ‘brB(sf)’, o rating das Cotas de Classe Única (definidas em Regulamento como Cotas Seniores) do TMJ Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (TMJ FIDC/ Fundo); a classificação foi mantida em observação negativa. Este novo rebaixamento do rating das Cotas de classe Única do TMJ FIDC se deve ao fato de o Fundo ter mantido elevada concentração em apenas 03 operações, das quais, duas necessitaram de novos aportes de capital para término das obras, não atingindo os objetivos iniciais propostos nas respectivas emissões (CRI – Porto Quality e CRI – Maluí). Note-se que, concomitantemente, o veículo se manteve desenquadrado em relação aos limites definidos em seu Regulamento para concentração máxima em devedores em operações alocadas em determinadas categorias de rating e, dado que houve rebaixamento de uma das emissões por outra agência, também em relação à menor classificação permitida por emissão (‘brBBB+’), condição que poderá ensejar um evento de avaliação, a exemplo do próprio rating ora mantido para as Cotas do Fundo, que está abaixo daquele que tais cotas deveriam possuir. A Austin Rating destaca que a Venture Capital Participações e Investimentos S/A (VCI), cujas Debêntures integram a carteira do Fundo, teve a oferta suspensa pela Comissão de Valores Mobiliários – CVM, conforme Deliberação CVM No. 794, de 11 de julho de 2018. A Austin Rating não classifica as referidas debêntures e, no contexto da presente análise do Fundo, recebeu informações que não a permitem avaliar em profundidade o projeto e a qualidade creditícia do ativo. De toda forma, essa agência entende que tal evento de suspensão pela CVM, da forma como ocorreu, pode afetar a imagem da emissora, suas futuras captações, a continuidade do projeto e, por consequência, ensejar um evento de avaliação no TMJ FIDC. É importante destacar também o fato de que a VCI, representante da marca Hard Rock Café no Brasil, realizou sociedade junto a Maluí no empreendimento Hard Rock Café Ilha do Sol, fonte de pagamento (risco) em emissão de CRIs adquiridos pelo Fundo. Assim, a piora da VCI poderá implicar, também, problemas naquele empreendimento e no risco da operação de CRI correspondente, fator que corrobora a presença de observação negativa. Além dos fatores destacados, as ações de rating estão consonantes com o fato de que, mesmo a despeito de não ter constituído provisões, a rentabilidade das Cotas está abaixo do benchmark, atingindo 3,5% no acumulado dos últimos 12 meses, contra 4,3% do IPCA, e foi negativa em 1,3% no 2T18.